Retomada de eventos: Movimentações globais e como o Brasil tem se preparado para isso

Retomada de eventos: Movimentações globais e como o Brasil tem se preparado para isso

A retomada de eventos está cada vez mais próxima após quase dois anos de pausa na maioria de suas realizações.

Nos Estados Unidos, por exemplo, houve, em julho, a realização da ISC West que reuniu 10.000 profissionais do setor, presencial e digitalmente. Durante a realização do evento, inclusive, Will Wise, vice-presidente do grupo de Portfólio de Segurança da RX, comentou que “tem sido muito empolgante reencontrar a indústria pessoalmente aqui esta semana”.

Por isso, com o objetivo de inspirar o Brasil, fomos conversar com Will Wise para nos aprofundarmos sobre as lições aprendidas e descobrir o que veio para ficar no universo de feiras e eventos.

Descubra como foi a retomada da ISC West, realizada em Las Vegas

Antes de mais nada, vale comentar que a ISC West teve como principal objetivo dessa retomada, estruturar um encontro menor e assertivo, diferente das grandes entregas anteriores.

Como resultado, o portal Northland Controls afirmou que o evento trouxe “mais a sensação de uma cidade pequena do que as vibrações de cidade grande a que estão acostumados, mas ainda trouxe uma rede significativa e algumas tecnologias em desenvolvimento.”

Retomada de eventos: Movimentações globais e como o Brasil tem se preparado para isso
Equipe ISC West durante a realização de 2021 (Vídeo divulgação)

Afinal de contas, o intuito principal era, sobretudo, realizar uma retomada segura e coerente, além de proporcionar oportunidades de networking, de atualização profissional e de negócios.

Confira a entrevista com Will Wise, vice-presidente do grupo de Portfólio de Segurança da RX

Em primeiro lugar, em todo esse tempo entre o último ISC West (março de 2019) até o evento que acabou de acontecer de 19 a 21 de julho (um atraso de 28 meses), o que você fez para se adaptar e ficar conectado com o mercado tanto quanto com os clientes?

Will Wise: Com as empresas e todos os indivíduos experimentando estresse e perturbação sem precedentes devido à pandemia, e com a incerteza contínua sobre quando poderíamos voltar a fazer eventos presenciais, sem dúvida, foi um desafio.

Por isso, o segredo tem sido fazer comunicações frequentes com atualizações, educar e mostrar a experiência da RX, por exemplo, por meio de nossa força-tarefa de Saúde e Segurança. Bem como permanecer imerso em compreender e destacar as tendências e oportunidades do setor de segurança.

Isso incluiu o fornecimento de oportunidades digitais para conectar nosso público comprador com fornecedores de diferentes maneiras. Por exemplo: matchmaking para projetos abertos, webinars e boletins informativos.

E, em muitos casos, para mostrar flexibilidade em relação aos contratos e os tipos de propostas para os eventos agora e futuros agendados.

Qual foi a reação e o feedback dos expositores e visitantes sobre o recente evento em Las Vegas?

Foi emocionante e humilde ver como as pessoas, mais do que nunca, apreciaram a experiência de reconectar-se pessoalmente com colegas e fornecedores. Da mesma forma, a capacidade de fazer novos contatos importantes, ao mesmo tempo em que estão em sintonia com a educação e o treinamento.

Embora o evento fosse menor – na verdade, era ideal para esses tempos – permitiu conversas e reuniões mais aprofundadas e todos comentaram sobre a alta qualidade dos participantes, tanto para integradores quanto para usuários finais.

Os profissionais que compareceram estavam lá com sérias necessidades de negócios e aquisição de produtos. Também vimos uma quantidade empolgante de expositores de pequeno a médio porte e novas empresas, incluindo start-ups, participando. Como resultado, fomos uma vitrine notável de inovações.

Por exemplo – para soluções integradas de segurança / saúde, soluções multi-inquilino / condomínio inteligente e tecnologia avançada para áreas como detecção de armas / tiros, além de tecnologia de drones e contra-drones. 

Além disso, quais foram as principais mudanças para a feira em termos de protocolos de saúde e segurança?

Nos EUA, cada estado e cidade / condado é responsável pelas políticas. Por isso, mantivemos contato direto com o governo local e as autoridades de saúde. Além disso, fomos muito bem coordenados com nosso parceiro local e contratante do evento. Também era importante estar pronto para se adaptar às regras de última hora e para se comunicar claramente tanto antes quanto durante o evento. 

Com todas as interrupções no mercado devido à COVID, quais mudanças nos modelos de negócios da indústria de eventos você acha que vieram para ficar? E, por fim, quais são seus principais conselhos?

Por um lado, é um desenvolvimento positivo que a indústria e os clientes não sejam apenas obcecados por notícias de estatísticas e métricas de volume. Sucesso e valor não se referem apenas a um certo número de participantes e expositores, mas sim à qualidade do engajamento e às soluções resultantes que fazem a diferença para melhorar a segurança e proteção.

Também está impulsionando melhorias em mais personalização da experiência, uso expandido de dados e ferramentas digitais e o valor de melhores comunicações pré e pós-evento e oportunidades de marketing digital.

Nesse sentido, inclui o fato de que, com mais engajamento digital durante todo o ano e em colaboração com patrocinadores, obtivemos muitos novos contatos em nosso banco de dados.

Agora, pode ser feito um reforço adicional da comunidade e, em última análise, converter muitas dessas novas conexões para estarem presencialmente a eventos futuros. Por último, oportunidades expandidas de parceria e aliança estão em jogo agora e serão essenciais para aumentar o valor e a eficiência para todos os envolvidos. A interrupção desses tempos pôde abrir novas conversas para parcerias em conteúdo, desenvolvimento de público, patrocínios e marketing.

Como estão as movimentações brasileiras para a retomada de eventos

Segundo publicação divulgada em 10 de agosto pelo consórcio de veículos de imprensa, o Brasil chega a 70% da população adulta vacinada, ao menos com a primeira dose, contra a covid-19. A iniciativa é fruto da colaboração que reúne Folha, UOL, Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1. O que já era esperado por parte das autoridades de São Paulo, inclusive.

Afinal de contas, nesse meio tempo, a Prefeitura da cidade autorizou, em 24 de julho, um decreto que libera a realização de eventos. Trata-se da retomada de eventos a partir do momento em que a população elegível atingir 80% com ao menos uma dose da vacina.

Entretanto, é obrigatório considerar as medidas restritivas para conter a propagação do vírus. Nesse sentido, mesmo quem já tenha completado as duas doses da vacina deve seguir com os cuidados.

Por isso, eventos brasileiros estão sendo projetados com o objetivo de se adaptar as recomendações sanitárias e voltarem a acontecer.

Justamente com essa premissa, a RX, organizadora da ISC Brasil, já trabalha com protocolos de segurança aprovados pelas autoridades e que contempla não apenas os visitantes, como também expositores e parceiros.

O que esperar da retomada da ISC Brasil

Segundo Luiz Bellini, Diretor de Portfólio da RX Brasil, a ISC passa a ser mais do que um evento. É uma plataforma de conhecimento, conexão e negócios. Em virtude dessa expansão, vai promover ações digitais tanto quanto presenciais.

Por isso, apesar da pausa na realização do evento físico, a ISC Brasil em si não parou. Em 2020, por exemplo, proporcionou a ISC Digital Experience que trouxe para o ambiente digital os debates que aconteceriam no pavilhão.

Além disso, ao longo do ano passado, proporcionou diversas ações como patrocínio de ações digitais, lives e webinars. Sob o mesmo ponto de vista, já em 2021, fez parte do Global Security Week, ação inédita em parceria com a ISC West e Expo Seguridad.

Ainda para este ano, a ISC Brasil vai trazer o Security Showcase Week com a finalidade de ser vitrine digital para os principais lançamentos do setor.

O evento acontecerá de maneira online e exclusiva para profissionais do setor durante os dias 21 a 23 de setembro de 2021. Clique aqui para saber mais.

Como fica o presencial?

ISC Brasil 2019 – Foto divulgação

A edição ISC Brasil passará a ser realizada nos dias 21 a 23 de setembro de 2022, no Expo Center Norte, em São Paulo. E as expectativas não poderiam ser diferentes: protocolos de segurança, ânimo e otimismo.

“Nossas expectativas são as melhores possíveis para o reencontro presencial. A equipe trabalhou muito para implementar protocolos coerentes, trazer ações inéditas e exposições já consagradas pelo público da ISC Brasil. Estou confiante de que a retomada de eventos será benéfica para todos”. finaliza Bellini.


Artigo escrito por Danielle Cirilo | Ver todos os artigos de Danielle Cirilo